PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
25 de Julho de 2010 | Colunas | Categoria

Formando trabalhadores e dirigentes para a ação na fábrica e na sociedade

A formação sindical tem uma longa trajetória no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Teve origem, no início dos anos de 1980, com a constatação da necessidade de preparar  militantes e dirigentes para  os novos desafios colocados para a ação sindical no interior das fábricas, que introduziam mudanças significativas  na forma de organizar a produção e o trabalho, ao mesmo tempo em que a participação nas lutas pela democratização da sociedade demandava desses dirigentes e militantes uma sólida formação política. 

O Departamento de Formação foi criado para atender a essas demandas, traduzindo-as num conjunto articulado e sistemático de atividades formativas planejadas de acordo com as diretrizes traçadas nos congressos da categoria e atualizadas nos planos estratégicos de ação da direção do Sindicato.

Coerente com a concepção de educação libertadora, a ação de ensino-aprendizagem desenvolvida nas atividades formativas leva em conta a experiência de trabalho e de vida dos trabalhadores, estabelecendo entre eles e os  educadores (formadores) um intenso diálogo e uma constante troca de saberes. O conhecimento vindo da experiência concreta, com suas descobertas e inquietações, interage com outras fontes e formas de saber, próprias do  conhecimento acadêmico ou científico. Constrói-se, a partir deste diálogo, um conhecimento novo, que só faz sentido quando ajuda o trabalhador a compreender a complexidade dos desafios que enfrenta na fábrica ou fora dela e a melhor forma de resolvê-los.

Seguindo essa orientação mais geral, o Departamento de Formação elabora planos anuais de trabalho, procurando atender as diversas demandas do Sindicato. Parte das atividades é voltada para a formação mais ampla da categoria, como o curso Sindicato e  Cidadania, voltado para trabalhadores que freqüentam os programas de qualificação profissional desenvolvidos em parceria com o Senai e que atende, em média, 1.200 pessoas por ano. Ainda neste campo, iniciamos recentemente um novo programa, Trabalho e Cidadania, que atende os trabalhadores liberados pelas empresas para passar um dia no Sindicato discutindo a negociação coletiva. A meta é atingir, nos próximos cinco anos, o conjunto da categoria.

Os Planos Anuais contemplam ainda atividades voltadas para a formação de militantes e de dirigentes, estruturadas em dois eixos principais: a ação sindical na fábrica e a participação política na sociedade. O detalhamento de conteúdos é feito de acordo com o perfil dos participantes e suas demandas reais de formação. 

No primeiro eixo incluímos, numa fase inicial de formação, temas básicos e importantes para o trabalho cotidiano dos representantes sindicais: comunicação e expressão, direitos trabalhistas e sindicais, trabalho de base, “matemática sindical”, organização no local de trabalho, saúde do trabalhador,  negociação coletiva e o planejamento da ação sindical. Numa fase posterior de formação, estes temas são geralmente retomados num grau maior de complexidade: a organização da produção e do trabalho na fábrica; a reestruturação produtiva e as novas formas de gestão do trabalho; o papel da representação sindical na democratização das relações de trabalho; o histórico  da indústria automobilística no Brasil e no ABC; tendências da negociação coletiva e das relações de trabalho no ABC e no Brasil; a participação dos trabalhadores nos Comitês Mundiais de Empresa, sindicalismo internacional.

No eixo voltado para a intervenção na sociedade, os temas contemplados geralmente são: história do movimento sindical e história do Sindicato; a formação da sociedade brasileira; a construção da cidadania no Brasil; relações de gênero; a ação contra a discriminação racial; a participação nos espaços institucionais voltados para o desenvolvimento regional; a participação nos espaços voltados para a democratização das políticas púbicas; a participação do Sindicato na construção de políticas setoriais; meio ambiente e desenvolvimento sustentável; a responsabilidade sócio-ambiental da empresa; projeto de desenvolvimento; a realidade brasileira através do cinema; meios de comunicação de massa e democracia; sindicato e política.

Alinhavando estes dois grandes eixos, ainda temos o programa de Formação de Formadores, voltado para a formação de dirigentes que colaboram nas atividades de formação. Esta experiência tem sido considerada fundamental na própria formação do dirigente como educador, papel que passa a  desempenhar na sala de aula e na fábrica.

O Departamento realiza ainda outras atividades como o planejamento dos Comitês Sindicais de Empresa e das Comissões de Fábrica,  assessoria e formação para as Comissões de Cidadania,  formação dos funcionários do sindicato, além de atender demandas  de assessoria colocadas pela direção.

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: