PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
16 de Outubro de 2008 | Notícias

Professores se sentem desvalorizados

Pesquisa aponta que profissionais da educação acreditam que sociedade não reconhece sua importância.



Professores querem uma carreira com perspectivas de futuro


Desvalorizados, professores querem mudanças na profissão

Mais de 80% dos professores se sentem desvalorizados pela sociedade. O cenário não muda dentro da escola, onde 75% acham que a administração do colégio ou mesmo da secretaria de educação de sua cidade não reconhecem a importância da categoria. A constatação é da pesquisa A Qualidade da Educação sob o Olhar do Professor, da Fundação SM e da Organização dos Estados Ibero-Americanos. Mais de 8 mil professores em 19 Estados participaram do estudo.
"O fato de não serem valorizados como profissionais, sem perspectiva de bons salários ou de uma carreira, leva a um processo de desvalorização. Os jovens não procuram o magistério o que cria um efeito dominó", comenta Roberto Leão, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Fé e vocação
Apesar da avaliação negativa sobre o reconhecimento da profissão, 67% dos professores disseram que não mudariam de profissão.
Há 15 anos lecionando língua portuguesa para alunos do ensino fundamental e médio numa escola particular da região, Inês Barbosa se sente desvalorizada, mas não larga a função por acreditar que a educação ainda pode fazer a diferença na vida de um aluno.
Para ela, a desvalorização do profissional decorre do fato de o ensino ter se tornado um produto, pelo menos em sua experiência na rede privada. "Se o ensino se torna um produto, o resultado que se espera dele é o aluno passar de ano", conta.
Ladair Giusti, professora de geografia no ensino médio da rede estadual numa escola de Santo André, acredita que a desvalorização é muito mais dos governos do que da sociedade.
"Não nos é oferecida oportunidade de melhor qualificação, acesso a bens culturais e melhores salários. Tudo isso implica na perda de qualidade do ensino", reclama.

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: