PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
8 de Outubro de 2009 | Notícias | Saúde

A força das mulheres

As mulheres de hoje estão mais presentes e atuantes na política, nas escolas, nas fábricas, nos serviços, nos esportes, nos movimentos sociais e nos sindicatos. Também conquistaram o direito fundamental aos estudos ocupando dessa forma espaços que anteriormente eram apenas masculinos.

E, de fato, as mulheres brasileiras estão estudando por mais tempo que os homens.
Enfim, há mulheres por toda a parte, mas ainda é atribuição da maioria das mulheres que trabalham fora cuidar da casa e dos filhos. Pode-se ter uma ideia de que o dia fica cada vez mais curto, com tanta coisa para dar conta.

Vale lembrar que as conquistas femininas não vieram de graça, pois as mulheres tiveram que ir à luta para defender os seus interesses. Muitas perderam a própria vida para que outras pudessem trabalhar e viver com mais dignidade.

Quem não se lembra da história daquelas que foram queimadas vivas por seus patrões no começo do século 20, dentro de uma fábrica nos Estados Unidos? Simplesmente porque protestavam contra uma jornada de trabalho de 16 horas por dia.

Realmente, a vida não era fácil. E hoje também não é nenhum sonho. Em pleno século 21, se somarmos a jornada de trabalho na fábrica, as horas extras, o trabalho em casa e o tempo na escola, quanto ainda sobra?

Pensando dessa maneira, dá até um pouco de desânimo, ainda mais quando refletimos sobre as condições de trabalho atuais. Só quem conhece uma fábrica pode dizer.

A produção continua a todo vapor, com ou sem crise. Mal dá para sentar um pouco para descansar ou trocar uma ideia, beber água, usar um sanitário limpo, almoçar com sossego, sem correr em disparada até o refeitório.

É muito trabalho, em lugares mal cheirosos, em pé por muito tempo, transportando caixas e peças pra lá e pra cá, repetindo os mesmos movimentos centenas de vezes, tentando cumprir metas impossíveis.

E o medo de ficar doente, nem se fala. As empresas só querem as pessoas com saúde.
Mas, a parte boa disso tudo é que as mulheres conquistaram reconhecimento social pelo seu saber e pelo seu trabalho. Adquiriram respeito e passaram a exercer um papel importante na representação dos trabalhadores e na política. Estão lutando junto com os homens para melhorar a vida de todas as pessoas.

Apesar de tantas vitórias, ainda temos um grande desafio, que é ampliar a participação das trabalhadoras nas lutas de nosso Sindicato. E esse espaço somente será ocupado com muita organização, iniciativa, empenho e comprometimento de todas.

Por isso, cabe-nos lembrar das palavras de Che Guevara, que ao lado de homens e mulheres lutava por um mundo mais justo: é preciso agir com firmeza, mas nunca perdendo a ternura.

Companheiras, a sua contribuição na luta por melhores condições de trabalho e de vida é muito importante. As gerações futuras esperam isso de nós.

Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: