PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES

5 de Novembro de 2010 | Notícias | Economia

Canadense Magna amplia atuação na região com compra da mineira Resil

A Magna International, maior fabricante de autopeças do Canadá, anuncia hoje a compra de ativos da brasileira Resil, fornecedora de estruturas e moldes para assentos que tem sede em Minas Gerais, em mais um passo na estratégia de consolidar a unidade de negócios Magna Seating na liderança do mercado global de bancos e sistemas de assento para a indústria automotiva. "A América do Sul tem papel relevante dentro dessa estratégia", afirmou o presidente da Magna Seating, Joe Pittel.

"O mercado está preparado para ter uma fornecedora de perfil global", acrescentou. O valor do negócio, que não incluiu as linhas de produção de extintores da Resil e duas unidades que funcionam como armazém no país, não foi divulgado.

A Resil, que em 2009 obteve receita de R$ 294 milhões, emprega cerca de 1,45 mil funcionários e opera fábricas em São João de Bicas (MG) - distante 20 Km da fábrica da Fiat -, Camaçari (BA) e Córdoba, na Argentina. Conforme Pittel, a Magna vai transferir tecnologia às unidades da Resil, que até agora comprava de terceiros mecanismos reclináveis e trilhos. Os investimentos necessários à produção desses componentes serão executados em 2011.

Segundo Pittel, as negociações com a Resil transcorreram nos últimos quatro meses e reforçam a aposta da companhia canadense no mercado regional. Há um mês, a Magna anunciou planos de implantação de duas novas fábricas no Brasil, com o objetivo de atender todo o mercado sul-americano. Em Jundiaí, no interior paulista, a Magna produzirá, por meio da Cosma International, chassis e carrocerias para as principais montadoras que atuam no país. Na região do ABC, também em São Paulo, a própria Magna Seating erguerá uma fábrica, com inauguração prevista para 2012, voltada ao desenvolvimento e produção de sistemas completos de bancos automotivos. A unidade fornecerá esses componentes para um veículo novo da GM, que será produzido no país a partir de 2012.

Canadense vai construir duas novas fábricas no Brasil, com início das operações previsto para os próximos dois anos

Um dos fatores que chamaram a atenção dos canadenses para a América do Sul é o potencial de crescimento do mercado automobilístico nos próximos anos, notadamente o brasileiro. Entre 2014 e 2105, o país deverá alcançar a marca de 5 milhões de carros produzidos por ano, volume que exigirá investimentos adicionais no parque nacional de autopeças. "Quando olhamos para os próximos anos, vemos crescimento consistente no mercado brasileiro, sem riscos à operação", disse Pittel.

A Magna International registrou faturamento de US$ 17,4 bilhões em 2009 e projeta, para este ano, alcançar receitas entre US$ 23 bilhões e US$ 24 bilhões. No ano passado, o governo alemão chegou a entrar em contato com a Magna com vistas à venda da montadora Opel, porém as negociações não prosperaram.

A Magna está presente no país há 11 anos, por meio da Magna Closures Brazil, instalada em Vinhedo (SP). A capacidade de produção da unidade, hoje de 8 milhões de fechaduras automotivas por ano, será duplicada em 2011.

 

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA