PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
20 de Outubro de 2011 | Notícias | Saúde

País é exemplo de redução das desigualdades, diz OMS

Representantes de 120 países participam de 19 a 21 de outubro, no Rio de Janeiro, da Conferência Mundial sobre Determinantes Sociais da Saúde, promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo do encontro é discutir os efeitos dos investimentos sociais na área da saúde pública.

Em entrevista coletiva antes da abertura do evento, a diretora-geral da OMS, Margaret Cha, citou o Brasil como exemplo de País que está fazendo investimentos para buscar a redução das desigualdades sociais.

De acordo com Margaret, os países precisam ampliar políticas em áreas como educação, emprego e redução das desigualdades para melhorar a saúde das populações. Segundo a diretora-geral da OMS, no atual momento, em que o mundo passa por uma crise econômica, é importante que governos mantenham investimentos sociais.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, presente no evento, destacou a importância de o Brasil sediar o evento, que é a maior conferência da OMS nos últimos 30 anos. Segundo ele, o País tem uma tradição de compromisso com a saúde, que vem desde a Constituição de 1988, com a criação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Padilha disse que, nos últimos anos, os investimentos do governo brasileiro na área social, como saneamento, habitação e combate a fome, contribuíram para a melhoria de indicadores de saúde. Como exemplo, o ministro citou a redução dos índices de tuberculose no País, provocada pela redução da pobreza e pela política habitacional adotada pelo governo.

O ministro também comentou o Atlas de Saneamento 2011, divulgado nesta quarta-feira (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O documento mostra que ainda há muitos municípios sem saneamento adequado no País. “O saneamento já é uma questão prioritária no Brasil. Avançamos nos últimos anos e certamente esses números serão melhores com as ações do Programa de Aceleração do Crescimento, PAC 1 e do PAC 2, porque são dados de 2008. Para nós é fundamental a ampliação dos serviços de saneamento”.

Em relação à dengue, Padilha disse que o governo federal tem orientado estados e municípios a começar a se preparar para o próximo verão, período em que ocorrem as epidemias da doença no País. Segundo ele, é importante que os governos locais comecem a identificar residências com focos do mosquito, a planejar campanhas educativas e a preparar seus serviços de saúde.

Segundo ele, o Ministério da Saúde poderá ampliar em até 20% os recursos para municípios que cumpram as metas estabelecidas pelo governo federal, de acordo com política lançada no último mês.

Da Agência Brasil

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: