PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
15 de Março de 2012 | Notícias | Memória

Major Curió é denunciado por crimes da ditadura


Paulo Vannuchi, ex-ministro dos Direitos Humanos. Foto: Rossana Lana/SMABC

O Ministério Público Federal (MPF) no Pará denunciou à Justiça o major Sebastião Curió por crimes cometidos na década de 1970 – quando o Brasil vivia sob uma ditadura.

Curió comandou a repressão à chamada guerrilha do Araguaia, movimento de resistência ao regime militar organizado pelo PCdoB na região localizada entre o Sudeste do Pará e o norte do Tocantins.

De acordo com o MPF, em 1974 o militar foi o responsável pelo sequestro de cinco integrantes do PCdoB que participavam das ações e não pode se beneficiar da Lei da Anistia.

Como até hoje os corpos dos militantes não foram encontrados e não há provas das mortes, os procuradores alegam que o fato configura “crime continuado”, e não pode ser enquadrado na Lei da Anistia.

Segundo Paulo Vannuchi, ministro dos Direitos Humanos no governo Lula, o MPF se baseou na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que extraditou um militar argentino acusado de participar do fuzilamento de presos políticos e que será julgado por sequestro qualificado em seu país.

 “A Lei da Anistia não protege o sequestro e a ocultação de cadáveres. Quem praticou o crime de ocultação continua a praticá-lo até que o corpo ou os restos mortais sejam encontrados”, explicou Vannuchi.

O ex-ministro disse ainda que novas ações devem ser motivadas com base na mesma tese do Ministério Público do Pará, contribuindo para o fim da impunidade no Brasil.

Da Redação

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: