PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
15 de Outubro de 2013 | Notícias | Movimento sindical

Presidenta da CUT do Amapá é encontrada entre as vítimas de naufrágio

Odete Gomes era dirigente da CUT desde 2003

Embarcação com sindicalistas afundou no sábado quando participava da procissão fluvial do Círio de Nazaré

As equipes de busca encontram hoje (15) de manhã no rio Amazonas o corpo da dirigente sindical Odete Gomes, que presidia a CUT do Amapá e estava desaparecida desde o naufrágio de um barco, que participava da procissão fluvial do Círio de Nazaré, festa religiosa muito popular nas região, no sábado (12).

Ao todo foram confirmadas 17 mortes, a maioria de sindicalistas ligados ao Sindsep (servidores públicos) e familiares.

Em nota divulgada há pouco, a Executiva Nacional da CUT lamenta a morte da “eterna companheira” e diz que ela deixa como legado várias lições de “luta e princípios”.

Segundo depoimento de testemunhas, a embarcação tombou e começou a afundar rapidamente quando retornava à cidade de Santana, a cerca de 20 quilômetros da capital, Macapá.

A Capitania dos Portos e a Delegacia Geral de Polícia do Amapá abriram inquéritos para apurar as causas do acidente. Uma das hipóteses é superlotação do barco.

De acordo com a Capitania, o barco Capitão Reis 1 tinha capacidade para 40 passageiros, além da tripulação, e foi vistoriado pouco antes de partir para participar da procissão. O número de pessoas a bordo estaria dentro do permitido quando saiu do porto.

Leia abaixo a nota da CUT:

É com profunda tristeza e pesar que comunicamos que foram encontrados e identificados na manhã desta terça-feira (15), os dois últimos corpos que continuavam desaparecidos após o naufrágio da embarcação presente na procissão do Círio Fluvial, no último sábado (12), em Macapá, capital do Amapá: o de nossa eterna companheira presidenta da CUT-AP, Odete Gomes, localizado junto ao barco, e o de Raimunda Flora, esposa de um funcionário do Sindsep.

Odete deixa várias lições e todo seu legado de luta e princípios. A CUT e o movimento sindical brasileiro perde uma importante liderança, guerreira, militante, que sempre esteve à frente das lutas contra toda e qualquer injustiça. Sindicalista, mãe, feminista e feminina, batalhava para criar seus quatro filhos com a mesma atenção e afeto que tinha pelo movimento sindical.

Em 2003, Odete assumiu a Secretaria de Organização da CUT-AP. No congresso seguinte foi eleita para a Secretaria-Geral e em 2009 assumiu a Presidência da CUT no estado, para qual foi reeleita no último Congresso.

Odete Gomes nasceu no município de Amapá/AP, era técnica da Universidade Federal do Amapá e dirigente do Sindsep (Sindicato dos Servidores Federais), onde foi tesoureira por dois mandatos e, atualmente, respondia pela secretaria-adjunta de Relações Internacionais.

Como diz o ditado do mar, o capitão é o último a abandonar o barco - e assim foi. Quis o destino que o majestoso Rio Amazonas, tão querido por ela, marcasse o encerramento de sua tarefa.

Expressamos nossos mais profundos sentimentos aos familiares de Odete Gomes e de todas às vítimas desta tragédia.

O velório será às 14 horas na funerária Santa Rita - Avenida Mendonça Furtado, 2414 - bairro Santa Rita - Macapá.

 

Da Rede Brasil Atual

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: