PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
16 de Maio de 2014 | Notícias | Memória

Ato público debate resistência e luta em Mauá na ditadura

Em conjunto com a so­ciedade, sindicalistas e a Pre­feitura de Mauá realizam ato público hoje, a partir das 18h, no Independente Futebol Clu­be, em repúdio ao regime mi­litar instalado em 1964 e seus reflexos na cidade.

“Mauá foi uma das cidades do ABC que mais sofreu com a ditadura. Logo após o golpe, tanques do Exército e cami­nhões com soldados da polícia ocuparam a Refinaria de Ca­puava e a repressão interveio no Sindicato dos Petroleiros”, contou Jânio Lopes, do Siste­ma Único de Representação, o SUR, na Scania.

“Nos anos seguintes, a di­tadura perseguiu, prendeu e torturou trabalhadores como Olavo Hansen, Francisco Seiko Okama e Raimundo Eduar­do da Silva, assassinados sob tortura, que terão seus nomes sempre lembrados como sím­bolo da luta contra o regime militar”, completou Jânio.

Participantes

Com o tema Resistência e luta dos trabalhadores de Mauá, o evento contará com a participação de autoridades e perseguidos políticos na ditadura.

Entre eles estão o padre José Mahon, integrante de movimentos religiosos na resistência; Rose Nogueira, presidente do Grupo Tortu­ra Nunca Mais; Paulo Lage, presidente do Sindicato dos Químicos do ABC; João Pau­lo de Oliveira, ex-metalúrgico do ABC, entre outros convi­dados.

50 anos do golpe - Ditadura nunca mais!

Hoje, às 18h. No salão nobre do Independente Futebol Clube

Rua Japão, 170, Centro, Mauá

Da Redação

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: