PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
18 de Setembro de 2015 | Notícias | Economia

Trabalhadores na Volks aprovam a regulamentação do PPE

Trabalhadores na Volks aprovam a regulamentação do PPE
Em assembleia na tarde de ontem, os trabalhadores na Volks aprovaram a regulamentação do Programa de Proteção ao Emprego, o PPE, na fábrica. É a sexta empresa e a segunda montadora na base dos Metalúrgicos do ABC a aprovar a adesão ao PPE. “A regulamentação é mais um item do acordo aprovado em janeiro de utilização de todos os mecanismos para manter o excedente na fábrica neste período de crise”, explicou o secretário-geral do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. Já foram utilizados férias coletivas, PDV, layoff e banco de horas. O PPE terá duração de seis meses a partir de 1º de outubro, prorrogáveis por mais seis meses. A redução na jornada de trabalho e salário será de 20%, sendo que a metade dessa redução será complementada pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador, o FAT. O acordo estabelece ainda o retorno de 850 trabalhadores em layoff no dia 1º de novembro. “Todos os que encerram o layoff em 6 de dezembro também retornarão para a fábrica”, afirmou. A PLR está garantida na sua integralidade e o PPE não terá impacto sobre as férias e o 13º salário. “Esta aprovação ratifica o acordo de estabilidade de emprego até 2019. É a garantia de que todos nós podemos caminhar juntos”, disse Wagnão. O Programa foi anunciado pela presidenta Dilma Rousseff no dia 6 de julho após quatro anos de luta dos trabalhadores. “O passo agora é conseguir que o projeto seja aprovado no Congresso mantendo o texto original e evitando que as 175 emendas descaracterizem o PPE”, explicou. O objetivo é preservar os empregos durante períodos de retração da atividade econômica e, com isso, contribuir para a recuperação da economia ao manter o vínculo empregatício. Já aprovaram o PPE na base os companheiros na Rassini, Trefilação União e Mercedes, em São Bernardo; Pricol, antiga Melling, e Prensas Schuler, em Diadema.
“Acho que foi a decisão certa dos trabalhadores para atravessar o momento atual. O pessoal entendeu que manter os empregos é o mais importante. Agora podemos trabalhar com mais tranquilidade até 2019”, João Walmir Macedo, há 7 anos na Montagem Final
“Os acordos do Sindicato sempre foram o diferencial e este traz mais tranquilidade. Estou em layoff até dezembro e o acordo garante o retorno e os empregos de todos”, Wander José de Souza, há 26 anos na Ferramentaria
“A gente está junto nessa pegada com o Sindicato para voltar todo mundo. É graças ao Sindicato, que briga pela gente e dá total apoio, que dá para ficar mais tranquilo. Estou em layoff até dezembro e, com a aprovação do acordo, saímos por cima das dificuldades”, Jeferson Silva Ferreira, há 9 anos na Pintura
Da Redação

O PPE na Volks terá duração de seis meses a partir de 1º de outubro, prorrogáveis por mais seis meses

Em assembleia na tarde de ontem, os trabalhadores na Volks aprovaram a regulamentação do Programa de Proteção ao Emprego, o PPE, na fábrica. É a sexta empresa e a segunda montadora na base dos Metalúrgicos do ABC a aprovar a adesão ao PPE.

“A regulamentação é mais um item do acordo aprovado em janeiro de utilização de todos os mecanismos para manter o excedente na fábrica neste período de crise”, explicou o secretário-geral do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. Já foram utilizados férias coletivas, PDV, layoff e banco de horas.

O PPE terá duração de seis meses a partir de 1º de outubro, prorrogáveis por mais seis meses. A redução na jornada de trabalho e salário será de 20%, sendo que a metade dessa redução será complementada pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador, o FAT.

O acordo estabelece ainda o retorno de 850 trabalhadores em layoff no dia 1º de novembro. “Todos os que encerram o layoff em 6 de dezembro também retornarão para a fábrica”, afirmou.

A PLR está garantida na sua integralidade e o PPE não terá impacto sobre as férias e o 13º salário. “Esta aprovação ratifica o acordo de estabilidade de emprego até 2019. É a garantia de que todos nós podemos caminhar juntos”, disse Wagnão.

O Programa foi anunciado pela presidenta Dilma Rousseff no dia 6 de julho após quatro anos de luta dos trabalhadores. “O passo agora é conseguir que o projeto seja aprovado no Congresso mantendo o texto original e evitando que as 175 emendas descaracterizem o PPE”, explicou.

O objetivo é preservar os empregos durante períodos de retração da atividade econômica e, com isso, contribuir para a recuperação da economia ao manter o vínculo empregatício.

Já aprovaram o PPE na base os companheiros na Rassini, Trefilação União e Mercedes, em São Bernardo; Pricol, antiga Melling, e Prensas Schuler, em Diadema.

“Acho que foi a decisão certa dos trabalhadores para atravessar o momento atual. O pessoal entendeu que manter os empregos é o mais importante. Agora podemos trabalhar com mais tranquilidade até 2019”, João Walmir Macedo, há 7 anos na Montagem Final

“Os acordos do Sindicato sempre foram o diferencial e este traz mais tranquilidade. Estou em layoff até dezembro e o acordo garante o retorno e os empregos de todos”, Wander José de Souza, há 26 anos na Ferramentaria

“A gente está junto nessa pegada com o Sindicato para voltar todo mundo. É graças ao Sindicato, que briga pela gente e dá total apoio, que dá para ficar mais tranquilo. Estou em layoff até dezembro e, com a aprovação do acordo, saímos por cima das dificuldades”, Jeferson Silva Ferreira, há 9 anos na Pintura

Da Redação

 

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: