PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
25 de Fevereiro de 2016 | Notícias | Geral

FEM e G2 iniciam debate permanente das cláusulas sociais

Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT, a FEM-CUT, inicia os debates da Comissão Permanente de Negociação das cláusulas sociais com as bancadas patronais, que discutirá melhorias e inclusão de direitos na Convenção Coletiva de Trabalho, a CCT.
Hoje é a vez do Grupo 2, que reúne máquinas e eletrônicos, às 14h, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a Fiesp. A ação está assegurada na cláusula de compromisso negocial, conquistada na Campanha Salarial 2015.
“Essa Comissão tem a chance de demonstrar que o diálogo é o melhor caminho e que as questões sociais são tão importantes quanto as econômicas”, afirmou o presidente da Federação, Luiz Carlos da Silva Dias, Luizão (foto).
“Queremos sensibilizar os patrões de que as nossas reivindicações não são absurdas e que elas refletem a realidade dos trabalhadores metalúrgicos no chão de fábrica. E, para que possamos alcançar bons resultados, é fundamental nossa mobilização”, concluiu.
A CCT da FEM tem vigência de um ano e as cláusulas econômicas e sociais valerão até 31 de agosto de 2016.

(Foto:Adonis Guerra)

Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT, a FEM-CUT, inicia os debates da Comissão Permanente de Negociação das cláusulas sociais com as bancadas patronais, que discutirá melhorias e inclusão de direitos na Convenção Coletiva de Trabalho, a CCT.

Hoje é a vez do Grupo 2, que reúne máquinas e eletrônicos, às 14h, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a Fiesp. A ação está assegurada na cláusula de compromisso negocial, conquistada na Campanha Salarial 2015.

“Essa Comissão tem a chance de demonstrar que o diálogo é o melhor caminho e que as questões sociais são tão importantes quanto as econômicas”, afirmou o presidente da Federação, Luiz Carlos da Silva Dias, Luizão (foto).

“Queremos sensibilizar os patrões de que as nossas reivindicações não são absurdas e que elas refletem a realidade dos trabalhadores metalúrgicos no chão de fábrica. E, para que possamos alcançar bons resultados, é fundamental nossa mobilização”, concluiu.

A CCT da FEM tem vigência de um ano e as cláusulas econômicas e sociais valerão até 31 de agosto de 2016.

 

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: