PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
3 de Março de 2016 | Notícias | Empresas

Trabalhadores na Resil voltam a Brasília contra medida do Contran

(Foto: Luís Macedo/ Câmara dos Deputados)

O CSE na Resil e mais de 40 trabalhadores na fábrica em Diadema seguiram ontem para Brasília contra a resolução 556 do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran, que retira a obrigatoriedade do uso de extintores em veículos de passeio.

Os companheiros ocuparam as galerias do plenário da Câmara dos Deputados e, até o fechamento desta edição, aguardavam a oportunidade para fazer pronunciamento para sensibilizar parlamentares à aprovação do pedido de urgência do Projeto de Decreto Legislativo, que susta imediatamente os efeitos da decisão.

Segundo o coordenador de área da Regional Diadema, Claudio­nor Vieira do Nascimento, que coordenou a delegação, não é possível aceitar uma medida burocrática, tomada de forma impensada e que coloca tantos empregos em risco.

Durante sessão, o deputado Vicente Paulo da Silva (PT-SP), o Vicentinho, lembrou o com­promisso do presidente da Câmara de colocar em votação o pedido de urgência.

“Nossos companheiros saíram de suas casas e vieram de longe para defender seus empregos. A obrigatoriedade do item não só garante milhares de postos de trabalho como salva vidas”, concluiu Vicentinho.

O decreto que pede a anu­lação da resolução tramita na Câmara desde o ano passado. A Resil emprega hoje cerca de 470 companheiros, sendo 70% da produção da empresa de extintores fornecidos para montadoras de veículos.

A resolução 556/15 do Con­tran, de 17 de setembro de 2015, tornou o uso do extintor facul­tativo. Em outubro passado, metalúrgicos do ABC ocupa­ram a Rodovia Imigrantes, em Diadema, em protesto contra as 530 demissões causadas pela resolução do Contran na época.

Da Redação

 

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: