PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
19 de Abril de 2016 | Notícias

Com ironia, mídia internacional destaca hipocrisia na votação do impeachment

Os principais jornais internacionais repercutiram com crítica e até certa ironia a votação para abertura do processo de impeachment na Câmara dos Deputados contra a presi­denta Dilma Rousseff.

O espanhol “El País” destacou o clima tenso que antecedeu a votação “começou com uma discussão tensa, áspera com crises nervosas, gritos, empurrões e canções até um pouco ridículas”. Sobre o presi­dente da Câmara publicou: “Foi presidida pelo polêmico Eduardo Cunha, inimigo evangélico de Dilma Rousseff, deputado acusado pelo Ministério Público de ter milhões em contas suíças alimentadas por subornos da Petrobras”.

“The Guardian” apontou a corrupção presente no Congresso e fez referência a Cunha como o arquiteto da demolição. “A presidente Dilma Rousseff sofreu uma grande derrota neste do­mingo em um Congresso hostil e contaminado pela corrupção”. E lembrou: “No meio das cenas estridentes a figura mais impassível na Câmara foi o arquiteto da demolição política”, Cunha.

O jornal inglês também fez questão de trazer à tona o pro­nunciamento polêmico do deputado Jair Bolsonaro. “O ponto mais baixo foi quando, o deputado de extrema-direita do Rio de Janeiro, dedicou seu voto sim a Carlos Brilhante Ustra, o coronel que liderou a unidade de tortura Doi-Codi durante a época da ditadura. Rousseff, ex-guerri­lheira, estava entre aqueles torturados”.

E também publicou o óbvio. “Sim, votou a grande maioria dos mais de 150 deputados que estão implicados em crimes, mas pro­tegidos por seu status como parlamentares”.

Já o norte-americano “The New York Times”, iniciou o texto lembrando tratar-se de uma votação contra a “primeira mulher presidente” e deu parecer de analistas políticos sobre danos à jovem democracia do Brasil. ‘“Este é um golpe, uma lesão traumática para o sistema presidencial do Brasil”, disse Pedro Arruda, um analista político da Pontifícia Uni­versidade Católica de São Paulo”’.

A revista alemã Der Spiegel saiu com o título: “A insurreição dos hipócritas”, a matéria noticia que o Congresso mostrou sua “verdadeira cara” e que usou de meios “constitucional­mente questionáveis” e que a votação colocou o “avariado navio Brasil em uma robusta rota de direita.”

Da Redação

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: