PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
23 de Março de 2018 | Hot Site | Formação

Março de luta para a emancipação das mulheres Parte 4

-

Compartilhar: Publicar:

Por que as mulheres devem estar na política?

No Brasil, apenas em 2009, garantimos que 30% sejam o mínimo de vagas reservadas para cada sexo na composição feita por partidos ou coligações.

Durante boa parte da história de nosso País, as mulheres viram negados seus direitos políticos. Conquistaram a garantia de votar e ser votadas em 1932, o que possibilitou que tivéssemos Carlota Pereira de Queirós como primeira deputada federal eleita em 1933. Até recentemente, porém, o Brasil ocupava o 154º lugar entre 193 países num ranking (Inter-Parliamentary Union), com pouco mais de 10% de deputadas federais.

A política originalmente foi arquitetada para possibilitar que os conflitos e diferenças presentes na vida em sociedade pudessem ser solucionados sem guerras. Muito embora em sua origem grego-romana, as mulheres não votassem, foi uma importante resposta da humanidade para estabelecer regras sociais que inibissem a violência.

Como tratar adequadamente as diferenças, porém, se as partes envolvidas não estão representadas ali, em sua devida proporção?

Tal lógica não se restringe a este segmento social, trata-se da necessidade de termos mulheres jovens e negras, discutindo e elaborando regras sobre os costumes, serviços públicos, atividades econômicas, entre outros. Pois, afinal de contas, são nestes fóruns que decisões sobre a superação ou não das desigualdades são tratadas. Março de luta para a emancipação das mulheres Parte 4 Comente este artigo.

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: