PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
10 de Maio de 2019 | Notícias

De 1933 a 1959: A fundação dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema

Desde o século XVI, as sete cidades que hoje constituem o ABC paulista estavam unidas em apenas um município: Santo André. Atraídas pelas condições favoráveis – localizado entre a cidade de São Paulo e o porto de Santos, ter a facilidade de transporte pela Rodovia Anchieta e as estradas de ferro Santos-Jundiaí, por exemplo – as fábricas começaram a chegar no início do século passado causando uma profunda alteração no cenário local e no crescimento de diversas categorias profissionais.

Deixava para trás a economia rural, que predominara até então, e dava destaque aos metalúrgicos, que no início dos anos 1930 tinham o maior número de trabalhadores na região.

A época marca ainda o começo da formação dos sindicatos oficiais no País e os metalúrgicos locais se sentiram suficientemente organizados para fundar sua própria entidade. Ela surge em 1933 com o nome de Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e representava todos os companheiros no ABC.

Para sede foi escolhida a cidade onde hoje está localizada Santo André, pois já abrigava o maior número de empresas e trabalhadores. Nas áreas que viriam formar São Bernardo e Diadema, por exemplo, existiam apenas pequenas fábricas moveleiras e têxteis.

A ampliação do parque industrial ocorrida na década de 50 transformou rapidamente o ABC. São Bernardo passou a ter uma base metalúrgica maior do que a de Santo André após sua emancipação em 1957. Não havia mais sentido um único sindicato abranger toda a região.

Um grupo de ativistas se mobilizou para formar a Associação dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema o que, pela legislação, deveria preceder à formação de um sindicato.

Lino Ezelino Carniel, primeiro presidente e sócio nº 1 do então futuro Sindicato, começou a traçar ideias com Anacleto Potomatti, Orisson Saraiva de Castro e Alcides Borsoi, também membros da primeira direção. Publicou-se edital no jornal Última Hora nos dias 27, 28 e 29 de abril de 1959 e, no dia 12 de maio de 1959, fundou-se a Associação Profissional dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico de São Bernardo do Campo e Diadema.

A assembleia de fundação foi na sede do Sindicato dos Marceneiros de São Bernardo e contou com a presença de 71 trabalhadores na Mercedes, Volks, Mercantil Suíça, Varan Motores, Multibrás, Carte, Volar, Sinca e Maras, onde foi eleita uma diretoria com mandato de dois anos.

A consolidação da Associação exigiu um trabalho muito grande, marcado por inúmeras dificuldades. “Alugamos uma sede na rua Santa Filomena, 373, Centro de São Bernardo. Não havia rendimento, nem dinheiro de espécie alguma, a não ser a mensalidade que nós mesmos dávamos para pagar os 300 cruzeiros de aluguel da casa. O começo foi bastante difícil, com muita perseguição. Muitos foram dispensados, inclusive eu na Mercedes”, disse Lino.

Em 26 de agosto de 1959, trabalhadores elegem durante assembleia primeira diretoria do Sindicato, tendo Anacleto Potomatti como presidente. Dois dias depois, em 28 de agosto, a ata da diretoria registrou o encaminhamento do pedido de sua transformação de Associação para Sindicato.

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: