PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
27 de Agosto de 2019 | Hot Site

O projeto do atraso

Tecnologia e inovação tem sido importantes aspectos do desenvolvimento industrial, especialmente nas últimas décadas, e novamente vivemos um momento crítico na disputa global por mercados. Mas o governo brasileiro, responsável pela oitava economia mundial, claramente assumiu uma postura de não fazer nada, quando não atua para desmantelar o que foi estruturado anteriormente no campo da ciência, pesquisa e inovação.

No exemplo mais elementar, o governo brasileiro acaba de reduzir em mais de 30% os investimentos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação para este ano, colocando em risco cerca de 11 mil projetos e 80 mil bolsas de pós-graduação que seriam financiados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Enquanto isso, as maiores economias globais estão fortalecendo suas indústrias nacionais e ampliando de forma sistemática os investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Os Estados Unidos investem pesado na manufatura avançada enquanto o governo chinês joga suas fichas na modernização industrial do plano China 2025. Os patamares de investimentos anuais ficam em torno de 500 e de 300 bilhões de dólares, respectivamente. No Brasil, esse patamar se limita a cerca de US$ 20 bilhões, considerando recursos públicos e privados, em torno de 1,3% do PIB.

Fica claro que o atual governo brasileiro abriu mão de estruturar uma política industrial no país. O que vemos é a absoluta ausência de um projeto de desenvolvimento, na contramão das maiores economias globais, onde o setor público segue liderando os investimentos em tecnologia, inovação e infraestrutura industrial.

Comente este artigo. Envie um e-mail para sumetabc@dieese.org.br

Subseção do Dieese

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: