PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
18 de Outubro de 2019 | Notícias

G8.2, G8.3 e Sindratar chegam à proposta de Campanha Salarial

Reajuste salarial será de 3,8%, valor referência que foi aprovado pelos trabalhadores em Assembleia Geral no dia 11. Para os demais grupos patronais, é aviso de greve

Foto: Adonis Guerra

Com a pressão dos trabalhadores, as bancadas patronais do Grupo 8.2 (Sicetel e Siescomet), Grupo 8.3 (Sinafer, Simefre e Siamfesp) e Sindratar chegaram à proposta da Campanha Salarial.

A referência para as demais bancadas patronais foi negociada com o Sindicel e aprovada em Assembleia Geral dos Metalúrgicos do ABC no dia 11. Também foi aprovada a entrega do aviso de greve para as demais bancadas patronais.     

O secretário-geral do Sindicato, Aroaldo Oliveira da Silva, reforçou a importância da mobilização. “Para conseguir avançar e chegar a acordos de Campanha Salarial, os trabalhadores precisam estar muito mobilizados e unidos. Se os demais grupos patronais não chegarem à proposta, o aviso de greve já está entregue”, afirmou.

O reajuste será de 3,8%, sendo 3,28% de reposição da inflação pelo INPC mais 0,5% de aumento real. Para esses grupos, a Convenção Coletiva de Trabalho, que assegura as cláusulas sociais, foi renovada por mais um ano, até 31 de agosto de 2020.

O presidente da FEM/CUT (Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT), Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, explicou que as negociações com as demais bancadas patronais continuam.

“Estamos insistindo muito na importância de assinar a Convenção Coletiva de Trabalho para os 14 sindicatos dos metalúrgicos na base da FEM/CUT no Estado de São Paulo. No momento de ataques aos direitos, na proposta de governo de carteira verde e amarela, desemprego alto e reforma Trabalhista, só a Convenção Coletiva para garantir a proteção aos direitos dos trabalhadores”, afirmou.

Os dirigentes dos sindicatos na base da Federação realizaram uma reunião na quarta-feira, dia 16, para avaliar as propostas e os encaminhamentos da Campanha Salarial. Luizão explicou que os demais sindicatos estão realizando suas assembleias de apreciação das propostas negociadas pela FEM.

“Temos que lembrar que não existe mais o efeito da ultratividade. Antes, se um acordo chegava ao fim e um novo não tinha sido assinado, o antigo continuava valendo. Agora, se acabou o acordo, todos os direitos caem a zero e precisam ser recuperados. Por isso a assinatura da Convenção Coletiva é tão fundamental para os trabalhadores”, alertou. 

“Tem patrão que brigou contra os pisos salariais durante todas as mesas de negociação. Tem bancada patronal que queria acabar com os pisos para poder pagar um salário mínimo”, disse.

Negociações por bancadas patronais

Sindicel

Proposta aprovada

Proposta econômica com validade por dois anos. Para este ano, o reajuste é de 3,8%. Para o ano que vem, o reajuste será o INPC mais 0,5% de aumento.

Convenção Coletiva de Trabalho, que já tinha sido assinada ano passado com validade até 2020, será estendida até 2021.

Grupo 8.2

Proposta aprovada

Proposta econômica de 3,8% por um ano.

Convenção Coletiva de Trabalho renovada por mais um ano, até 31 de agosto de 2020.

Grupo 8.3

Proposta aprovada

Proposta econômica de 3,8% por um ano.

Convenção Coletiva de Trabalho renovada por mais um ano, até 31 de agosto de 2020.

Sindratar

Proposta aprovada

Proposta econômica de 3,8% por um ano.

Convenção Coletiva de Trabalho válida até 31 de agosto de 2020.

Estamparia

Aviso de greve

Grupo 2

Aviso de greve

Grupo 3

Aviso de greve

Grupo 10

Aviso de greve

Fundição

Aviso de greve

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: