PESQUISA / SUGEST�ES
RECEBA INFORMAÇÕES
13 de Novembro de 2019 | Hot Site | Jurídico

Cultura da não violência no ambiente de trabalho

O mundo está fortemente contaminado pela cultura da violência. Temos diversos exemplos, como as guerras, o crescimento da indústria armamentista, a intolerância e perseguição aos imigrantes e refugiados, os feminicídios e homicídios, os abusos sexuais, as disputas em torno das drogas, crimes de toda ordem etc.

No ambiente de trabalho, não é diferente. De certa forma, reflete os problemas sociais dos países, como acontece no Brasil.  Recentemente, realizou-se no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho um importante seminário internacional sobre isto, cujo encerramento coube a Alain Supiot, renomado filósofo do Collège de France, com o tema “O caminho da não violência”.

Para Supiot, um mundo do trabalho sem violência é possível, desde que haja boa vontade, diálogo, solidariedade e cooperação mútua.

O professor francês sublinhou, ainda, a imprescindível promoção da liberdade sindical. Sindicatos que gozam de segurança e liberdade na sua atuação desenvolvem um diálogo mais maduro e eficiente com as empresas. Estas, por sua vez, respeitam os sindicatos, como defensores legítimos dos trabalhadores. Este clima de respeito mútuo e boa-fé acarreta evidentes ganhos para todos e afastam a cultura da violência no ambiente de trabalho.

Não precisa ser um gênio para constatar esta ideia. A questão é que os empresários precisam se conscientizar disto, respeitar os trabalhadores e seus representantes e se disporem a um diálogo eficaz e maduro para a solução dos conflitos.

Todos ganham com isto.

Comente este artigo. Envie um e-mail para juridico@smabc.org.br

Departamento Jurídico

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: