50% dos pisos valem até 1,5 mínimo

A metade dos pisos salariais firmados em 2005 tem valor equivalente a até 1,5 salário mínimo (R$ 525,00). É o que revela pesquisa divulgada ontem pelo Dieese após consultar 376 acordos coletivos de várias categoria no País fechados no ano passado.

Segundo o estudo, apenas 5% das negociações analisadas resultaram em pisos superiores a três salários mínimos (R$ 1.050,00).

O Dieese conclui que o piso salarial médio melhorou um pouco, passando de R$ 439,34 em 2004 para R$ 495,52 em 2005.

Porém, se esses valores forem convertidos para salários mínimos eles pouco mudam de um ano para o outro: 1,74 em 2004 e 1,73 em 2005.

A pesquisa apurou que o critério mais utilizado para definir os valores dos pisos se baseia na função exercida pelo trabalhador: ganha menos quem tem menor qualificação e recebe mais quem for melhor qualificado.

Embora a Constituição determine que os pisos sejam fixados conforme a função, segundo o Dieese os valores definidos nas negociações sofrem influência do salário mínimo.

Por isso, chama a atenção para a importância da necessidade de política de valorização do mínimo como instrumento de elevação dos salários e melhoria na distribuição de renda.