Brasil reduzirá imposto de importação de carros europeus em 50%

Veículos fabricados no bloco chegarão aos países do Mercosul pagando apenas metade do Imposto de Importação

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil publicou nesta semana os planos de redução tarifária e compromissos de serviços e compras públicas do acordo comercial que está sendo fechado entre Mercosul e União Europeia. Entre outros pontos, o documento trata do mercado de veículos e estabelece a criação de uma cota anual de importação de automóveis com imposto reduzido pela metade.

Nesse sentido, o Brasil terá direito a importar anualmente do bloco europeu 32 mil veículos com tarifa de importação de 17,5%, válida por 7 anos, a partir da entrada em vigor do acordo. Passado ​​esse prazo, a tarifa começará a ser reduzida até chegar a zero nos próximos 8 anos. A quantidade adicional de veículos, além dos 32 mil da cota, pagará o imposto cheio – ou seja, 35%.

Além do Brasil, os outros países do bloco sul-americano também serão beneficiados. A Argentina terá cota anual de 15.500 veículos, o Uruguai de 1.750 e o Paraguai de 750 – sob as mesmas condições. Já veículos atualmente importados de Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul e China continuam pagando 35% de Imposto de Importação, sem qualquer alteração.

Quando começar a valer, a redução tributária beneficiará principalmente fabricantes como BMW, Peugeot, Renault, Audi, Porsche e Mercedes-Benz. Veículos dessas marcas hoje importados com tarifa cheia de 35% tendem a ficar mais competitivos por aqui.

Do Motor1