Dia do Trabalho

Oba! Eu não tenho que trabalhar, eu só tenho que comemorar o Dia do Trabalho. Mas eu fiquei sabendo que isto não acontece com todas as crianças. Não só no Brasil, mas em quase todo o mundo.

Existem vários tipos de trabalho infantis que eu nem sabia que poderiam ser feitos por crianças, pois em minha casa eu não posso nem pegar a faca que logo eu ouço: “Renan, larga esta faca, você pode se machucar!”

Eu fiquei imaginando como que uma criança de 3 ou 4 anos pode usar a faca para trabalhar, descascando mandioca, para ajudar no trabalho de seus pais?

Têm também as crianças do sisal, do carvão, da entrega do leite, da lavoura, das salinas.

As crianças do sisal fazem lindos tapetes, esses que muitos de nós temos enfeitando as salas. Como recompensa pelo belo trabalho, têm suas mãos cortadas, seus olhos perfurados e sua pele arranhada.

E os meninos do carvão que já crescem com problema respiratório, quando crescem! Na lavoura então… são picados por cobras, se cortam, se queimam com o sol forte, é muito triste.

Li sobre um menino da minha idade que levanta para entregar pão e leite às 3 horas da manhã, e quando chega a hora de ir para a escola, ele vai, só que dorme sobre o seu caderno. Sabe qual é o maior sonho deste menino e de muitos que trabalham como ele? Apenas poder brincar, simplesmente ser criança, estudar e sonhar. Ele acorda para trabalhar.

Eu espero que um dia todas as crianças possam comemorar o Dia do Trabalho, sabendo que o trabalho é só para os adultos, que eles ainda são crianças, que não trabalham, só estudam e brincam.

Viva, então, o Dia do Trabalho!

Este texto foi o vencedor do Concurso de Redação e Desenho sobre o 1º de Maio na categoria 1º a 4º série. Autoria de Renan de Paula da Silva, aluno da Escola Municipal Professora Evangelina Jordão Luppi, Diadema. Semana que vem publicaremos o texto vencedor na categoria 5º a 8º série.