Falta de semicondutores provoca férias na Mercedes-Benz e lay-off na Caoa Chery

Na fabricante de caminhões, medida afeta 600 colaboradores, enquanto 450 colaboradores ficarão em casa no caso da planta de automóveis

A escassez de semicondutores para produzir veículos fez a Mercedes-Benz e a Caoa Chery anunciarem na quinta-feira, 24, medidas para desacelerar a produção. A fabricante de veículos comerciais dará férias coletivas a 600 trabalhadores em São Bernardo do Campo (SP) por causa da falta de componentes eletrônicos.

Os funcionários, que atuam nas áreas de eixos, câmbio e caminhões, ficarão fora por 12 dias, de 14 a 25 de março. A empresa admite a possibilidade de que mais um grupo entre em coletivas no fim do mês. A companhia emprega 8 mil pessoas na unidade, 6 mil delas na produção.

O coordenador do Comitê Sindical da Mercedes-Benz, Sandro Vitoriano, destacou os efeitos da instabilidade. “No final de janeiro a empresa estava discutindo jornadas adicionais e contratações para atender o volume de produção, mas depois de alguns dias e com o agravamento da falta de peças já houve cortes no volume e a empresa sinalizou que haverá férias coletivas”, apontou em comunicado.

Já a Caoa Chery decidiu colocar 450 funcionários em layoff, suspensão temporária do contrato de trabalho na fábrica de Jacareí (SP). A medida também é reflexo da falta de semicondutores. A empresa emprega 700 pessoas na unidade.

Do Automotive Business