G 10 enrola. Tem acordo com a Polimold

Outra rodada de negociação improdutiva com o Grupo 10. Na última sexta-feira, os patrões ofereceram 8% de reajuste, proposta que Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT) rejeitou na mesa de negociação. O grupo nem tocou nas demais reivindicações como controle de horas-extras e mudança na data-base.

Enquanto os patrões enrolam, os metalúrgicos seguem na luta por acordos diretos com as empresas. Na última sexta-feira foi fechado com a Polimold, do Grupo 9. Ele garante reposição salarial, aumento real e mudança da data-base para setembro.

Pelo interior do Estado, seguem parados os companheiros na Durcon, de Cajamar, e os metalúrgicos na Bardela, de Sorocaba, que cruzaram os braços ontem. Também houve mobilizações e protestos na Cestari, de Monte Alto, e na Bambozzi, de Matão, todas do Grupo 9.