Metalúrgicos na Alemanha: Milhares participam dos atos da campanha

Milhares de metalúrgicos participaram de greves de advertência e inúmeras manifestações no Estado de Bade-Vurtemberga na semana passada para pressionar a última rodada de negociações entre o IG Metall (sindicato dos metalúrgicos do país) e as entidades patronais. Há dois meses eles fazem mobilizações e o resultado foi o seguinte: aumento de 2,2% em março e mais 2,7% em março de 2005. O acordo coletivo vale até fevereiro de 2006.

Não haverá um aumento da jornada semanal de 35 horas a 40 horas sem reajuste salarial como queriam os patrões; em algumas empresas o número de trabalhadores com um contrato de 40 horas pode ser aumentado entre 18% a 50%; as negociações para assegurar postos de trabalho seguem abertas entre empresários e sindicato.

A proposta está em debate em assembléias de trabalhadores nas várias regiões do país, com possibilidade de aprovação. Existe resistências à sua aceitação em regiões da ex-Alemanha Oriental.

A crítica é que os metalúrgicos acham longo o tempo de acordo e pequeno o aumento salarial. Para o sindicato, a proposta é boa porque não houve aumento da jornada semanal sem reajuste salarial.