Metalúrgicos recuperam 490 mil empregos perdidos na era FHC

Pesquisa da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM-CUT) comprova a recuperação do emprego na categoria nos últimos dois anos e meio em todo o País. Já o Ministério do Trabalho contabiliza 1,6 milhão de vagas com carteira assinada abertas este ano em vários setores da economia.

Emprego cresce no País e na categoria

Os principais indicadores econômicos divulgados nos últimos dias mostram que o emprego continua crescendo no Brasil, exceto em São Paulo.

Só a indústria metalúrgica nacional criou 60 mil vagas em 2005, um aumento de 4% em relação ao ano passado segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM).

Também cresceu o emprego em todos os setores da economia brasileira. Houve em outubro a abertura de 118.175 postos com carteira assinada confirmando trajetória de dez meses seguidos de crescimento. O número significa 0,5% de aumento em relação a setembro e são do Caged do Ministério do Trabalho, que faz o levantamento diretamente no cadastro das empresas.

No ABC a taxa de emprego de desemprego baixou de 15,5% para 15%, enquanto ficou estável em 16,9% na Grande São Paulo, segundo pesquisa Dieese – Seade divulgada ontem.