Mobilização na Mercedes para três áreas contra demissões

 

Cerca de 1.500 trabalhadores na Mercedes, em São Bernardo, pararam a produção hoje em protesto contra as demissões dos 500 companheiros em layoff (suspensão temporária de contrato de trabalho) anunciadas pela montadora na última segunda, dia 25.
Participaram da assembleia na porta da fábrica, que ratificou a decisão, metalúrgicos nas áreas de eixos, motores e câmbio, além dos que estão em layoff.
“Todos sabem a difícil situação do setor, mas não vamos deixar a empresa dividir os trabalhadores”, declarou o diretor Administrativo do Sindicato, Moisés Selerges. “Se hoje são estes os trabalhadores ameaçados, amanhã podem ser vocês”, prosseguiu o dirigente se referindo aos metalúrgicos das três áreas.
Segundo Moisés, as mobilizações prosseguem amanhã com nova assembleia na portaria da fábrica nesta quinta, dia 28, às 9h. “É essencial a participação de todos. Essa política de terror nós não podemos aceitar”, concluiu.

Cerca de 1.500 trabalhadores na Mercedes, em São Bernardo, pararam a produção hoje em protesto contra as demissões dos 500 companheiros em layoff (suspensão temporária de contrato de trabalho) anunciadas pela montadora na última segunda, dia 25.

Participaram da assembleia na porta da fábrica, que ratificou a decisão, metalúrgicos nas áreas de eixos, motores e câmbio, além dos que estão em layoff.

“Todos sabem a difícil situação do setor, mas não vamos deixar a empresa dividir os trabalhadores”, declarou o diretor Administrativo do Sindicato, Moisés Selerges. “Se hoje são estes os trabalhadores ameaçados, amanhã podem ser vocês”, prosseguiu o dirigente se referindo aos metalúrgicos das três áreas.

Segundo Moisés, as mobilizações prosseguem amanhã com nova assembleia na portaria da fábrica nesta quinta, dia 28, às 9h. “É essencial a participação de todos. Essa política de terror nós não podemos aceitar”, concluiu.

Da Redação