Volkswagen: Lamborghini e Ducati permanecem no grupo alemão

A Volkswagen não vai mais vender as marcas italianas Lamborghini e Ducati, que hoje estão sob a direção da Audi. Os dois fabricantes de esportivos, carros e motos, atuam no segmento premium e representam status ao grupo. Em declaração oficial após reunião anual, o grupo alemão disse: “O conselho concordou que a Lamborghini e a Ducati continuarão a fazer parte do grupo Volkswagen.”

Por ora, pelo menos, as duas marcas da península itálica continuam como está, sem alterações em suas estruturas. No caso da Lamborghini, o fabricante do touro de Bolonha está bem integrado à organização da VW. Ela usa inclusive a plataforma modular MLBevo para seu crossover de alta performance Urus, que elevou muito as vendas da marca. Com a eventual saída da Bugatti, a marca de Sant’Aghata Bolognese se torna a marca que pode se destacar mais com hiperesportivo.

Já a Ducati possui um portfólio de motocicletas premium que a destacam no mundo das duas rodas, tendo recentemente lançado a Multistrada com controle de cruzeiro adaptativo, sendo a primeira do mercado mundial com essa tecnologia. Modelos como Monster, Scrambler, Panigali e a animalesca Diavel, são produtos bem atraentes no mercado de luxo e mantém a VW no segmento.

Ainda no mercado premium, a Bentley terá seu papel mudado no grupo e no mercado de ultra-luxo como uma marca 100% elétrica em 2030. Oficial da família real britânica, o fabricante de Crewe terá a difícil missão de se desligar dos motores a gasolina. A partir de 1 de março de 2021, a Bentley reportará diretamente à Audi e não mais ao conselho da Volkswagen, ampliando assim a sinergia com a divisão premium da montadora, que passará a reunir todas as marcas de status da empresa.

 Do Notícias Automotivas