Campanha salarial vai defender direitos e combater a precarização

A Campanha Salarial 2015 da Federação Estadual dos Meta­lúrgicos da CUT, a FEM­-CUT, iniciou os debates para a construção da pauta de rei­vindicações deste ano, com foco na defesa dos direitos dos trabalhadores.

Segundo o presidente da FEM-CUT, Luiz Carlos da Sil­va Dias, o Luizão, a Federação não permitirá nenhum direito a menos e buscará avanços nas Convenções Coletivas de Trabalho.

“Vamos intensificar o deba­te das cláusulas sociais, por conta desta ameaça de perda dos direitos já conquistados, com a aprovação do PL 4.330, que precariza as relações de trabalho”, explicou o diri­gente.

As plenárias que estão sendo realizadas nos sindica­tos da base da Federação têm como tema “Metalú[email protected] da FEM-CUT/SP – #Nenhu­mDireitoaMenos”.

Para o presidente do Sin­dicato, Rafael Marques, é im­portante a consolidação desta pauta na defesa dos direitos.

“Estamos diante de um dos congressos mais conserva­dores da história recente do Brasil e isso pode significar um retrocesso às conquistas dos trabalhadores”, destacou.

“Precisamos marcar a po­sição dos metalúrgicos do Estado de São Paulo e até mesmo daqueles que não estão na nossa base, mas que já se declararam contrários ao Projeto de Lei da Câmara, PLC 30, que terceiriza todas as atividades de uma empre­sa, incluindo a atividade fim”, completou.

Rafael defendeu ainda, du­rante reunião no início do mês na sede da Federação, a unifi­cação de ações pelo Programa de Proteção ao Emprego, o PPE; a Renovação da Frota de Caminhões e pela criação de mecanismos que reduzam a rotatividade.

A Plenária Estatutária que aprova a pauta de reivindica­ções da Campanha Salarial acontecerá no próximo mês.

A data-base é 1º de setem­bro e estarão em Campanha aproximadamente 210 mil metalúrgicos na base da FEM­-CUT.

 

Da Redação.