Luta na Karmann-Ghia completa 47 dias em defesa dos direitos

(Foto: Adonis Guerra)

A luta dos trabalhadores na Karmann-Ghia, em São Bernardo, completa hoje 47 dias de ocupação para garantir os direitos trabalhistas e preservar o patrimônio na fábrica. Em assembleia na manhã de ontem, os companheiros aprovaram a continuidade da luta e a mobilização na empresa.

“Desde o início do movimento, temos buscado todas as ações possíveis tanto em negociações quanto em garantias jurídicas aos trabalhadores. O interesse maior é a empresa continuar viva e é com essa lógica que nós vamos tratar sempre”, afirmou o presidente do Sindicato, Rafael Marques.

(Foto: Adonis Guerra)

“É com a luta e a união dos companheiros que vamos encontrar soluções e exigir respeito. A ocupação é importante para garantir a permanência do maquinário e, assim, poder defender o que é de direito dos trabalhadores”, prosseguiu.

O movimento teve início em 13 de maio, quando a justiça emitiu parecer confirmando que a atual diretoria não havia, de fato, cumprido com as obrigações com os antigos donos da empresa, gerando uma indefinição sobre quem são os reais proprietários da autopeças. São cerca de 200 trabalhadores na ocupação que se revezam em três turnos por dia.

Os trabalhadores têm sofrido com anos de má gestão e erros de administração com sucessivos atrasos de pagamentos de salários, benefícios trabalhistas e descumprimento de acordos. Desde dezembro do ano passado, o único valor que entrou na conta dos trabalhadores foi 25% do salário de apenas um mês.

“A ocupação continuará por tempo indeterminado até a definição de rumos para dar continuidade às atividades da empresa. O que não falta é disposição e garra para trabalhar e seguir firme”, disse.

O Sindicato tem realizado negociações com as empresas credoras da Karmann-Ghia na busca de soluções. “O maior patrimônio da empresa são os trabalhadores. Não estamos pensando somente nos direitos, mas em construir alternativas e retomar a atividade”, concluiu.

(Foto: Adonis Guerra)

DOAÇÕES 

A campanha de arrecadação em solidariedade aos trabalhadores na Karmann-Ghia continua na categoria. Na semana passada, os companheiros na Toyota doaram mais de R$ 8 mil para a resistência na fábrica.

“Assim como os companheiros na Toyota e nas demais empresas que já fizeram doações e prestaram solidariedade, é imprescindível que toda a categoria continue a fazer a campanha solidária neste momento difícil”, ressaltou o diretor executivo do Sindicato, Alexandre Colombo.

“Os metalúrgicos do ABC são historicamente solidários nas horas de dificuldades. A luta é de todos e os gestos de apoio fortalecem cada pai e mãe de família que trabalham aqui e que não estão sozinhos”, concluiu. Quem quiser fazer doações pode procurar Valter Saturnino Pereira, o Valtinho, da representação dos metalúrgicos na empresa. 

Da Redação