100 anos de Florestan Fernandes: um intérprete do Brasil que aliou vigor intelectual e militância política

Neste ano se comemora os 100 anos do nascimento de Florestan Fernandes, um dos maiores pensadores brasileiros.

Foto: Divulgação

Nascido em 22 de julho de 1920, Florestan teve uma origem humilde e começou a trabalhar como engraxate aos seis anos de idade. Pelas suas posições políticas foi preso em 1964. Em 1969 foi aposentado forçadamente como professor da Universidade de São Paulo e se exilou no Canadá.

O tema da desigualdade social foi um tema central na obra de Florestan Fernandes. Seu livro “Integração do Negro na Sociedade de Classes”, publicado em 1964, analisa o processo de transição do trabalho escravo para o trabalho livre e o consequente processo de integração desigual da população negra no mercado de trabalho. Em a “Revolução Burguesa no Brasil”, Florestan elaborou uma interpretação clássica sobre o papel dependente da burguesia brasileira em relação ao capital internacional.

O legado de Florestan Fernandes como um dos mais importantes intérpretes do Brasil é fundamental para entendermos a sociedade brasileira atual. Numa entrevista em 1984, Florestan disse que as “esperanças de mudanças estão nos humildes e nos explorados”, e citou como exemplo de esperança a luta dos trabalhadores metalúrgicos do ABC.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]
Departamento de Formação