150 anos da Comuna de Paris

Em 18 março de 1871, eclodia na capital francesa uma das mais importantes revoltas populares que desembocaria na chamada “Comuna de Paris”, considerada a primeira experiência revolucionária dos trabalhadores.

A revolta ocorreu durante a guerra entre a França e a Prússia (1870- 1871), que levou à rendição do imperador Napoleão III e à restauração da República na França em setembro de 1870. O novo governo republicano tentou estabelecer um acordo de paz com a Prússia, mas os trabalhadores e a população dos bairros pobres de Paris, apoiados pela Guarda Nacional, não aceitaram os termos da rendição.

Com a explosão da rebelião popular, o governo central transferiu sua sede para Versalhes. A rebelião transformou-se na “Comuna de Paris”, denominação do governo municipal na época da Revolução Francesa.

Várias medidas foram tomadas durante os 72 dias de governo popular, como: controle dos preços dos alimentos; suspensão dos aluguéis atrasados para os mais pobres; fim do serviço militar obrigatório; igualdade civil entre homens e mulheres; jornada de trabalho de 10 horas; criação de cooperativas de trabalhadores para administrar as fábricas abandonadas; separação entre Igreja e Estado; educação laica, pública e obrigatória, entre muitos decretos populares.

A experiência da Comuna ocorreu com a cidade de Paris sitiada e sob forte oposição do governo central, que não hesitou em massacrar os revolucionários na primeira oportunidade, deixando um saldo de 20 mil mortos e mais de 40 mil prisioneiros. Todo esse cenário tornou essa experiência épica e carregada de simbolismo para as futuras gerações de trabalhadores em todo o mundo, que hoje lutam, também heroicamente, contra o autoritarismo e o desmonte dos direitos, seguindo a trilha deixada pelos revolucionários de Paris.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Formação