40 anos da Comissão de Fábrica na Volks

Mal terminava a greve de 41 dias da categoria em 1980, com o Sindicato ainda sob intervenção, a gerência da Volks tentou criar o Sistema de Representação Interna dos Empregados sob seu controle para diminuir a influência do Sindicato.

Foto: Divulgação

À revelia do Sindicato, o Sistema de Representação foi eleito e tomou posse em novembro de 1980. Em 1981 foram demitidos mais de dez mil trabalhadores.

No ano seguinte, a empresa propôs a redução de 20% da jornada de trabalho com equivalente redução do salário. O Sindicato reagiu e comandou uma assembleia que recusou a proposta de diminuição de salário e manteve a reivindicação de 7% de aumento. A empresa recorreu e foi decretada uma greve que foi vitoriosa, obrigando a empresa a negociar o aumento com o Sindicato junto com um novo estatuto para a representação dos trabalhadores.

O resultado desse processo foi a eleição de 21 trabalhadores indicados pelo Sindicato para a Comissão de Fábrica de um total de 24 membros, empossados em 17 de dezembro de 1982. Nesses 40 anos, foram muitas lutas e conquistas, como: a redução da jornada de trabalho, estabilidade no emprego, qualificação profissional, saúde e segurança no trabalho, cláusulas sociais etc, que permitiram a melhoria das condições de trabalho e de remuneração nas últimas décadas.

As Comissões de Fábrica foram conquistas fundamentais para a democratização das relações de trabalho e o fortalecimento da organização sindical no local de trabalho. Muito provavelmente a planta da Volks em São Bernardo teria sido fechada se não fosse o protagonismo dos trabalhadores na luta do chão de fábrica, aliada à capacidade de negociação propositiva e inovadora da sua Comissão de Fábrica junto com o Sindicato.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Formação