40 anos de CONCLAT: um marco do sindicalismo brasileiro

Há 40 anos, entre os dias 21 e 23 de agosto de 1981, ocorreu na Praia Grande, cidade do litoral paulista, a 1ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora - CONCLAT.

Foto: Jesus Carlos

Foi o maior encontro de dirigentes sindicais ocorrido no país desde o início da ditadura militar em 1964. Portanto, foi um ato de extrema ousadia do sindicalismo brasileiro que assumia um protagonismo cada vez maior na luta pela redemocratização do país. 

A Conferência contou com mais de cinco mil delegados (as) do campo e da cidade, do setor público e privado, representando 1.091 entidades sindicais de todo o Brasil, incluindo as oposições sindicais. Uma das principais deliberações no último dia do encontro foi a eleição da Comissão Nacional Pró-CUT com objetivo de encaminhar as ações para a fundação de uma futura Central Única dos Trabalhadores – CUT. O sentido de “Central Única” era reunir todos os seguimentos do sindicalismo numa “Central Unitária, Classista e de Massa”, que representasse o conjunto da classe trabalhadora brasileira independente das divergências entre as correntes do sindicalismo brasileiro. Essa era a perspectiva histórica daquele momento.

 A CONCLAT de 1981 representou a afirmação do “novo sindicalismo”, surgido no final dos anos 1970, e que imprimiu sua marca como o segmento mais combativo do sindicalismo brasileiro ao fundar a CUT, em 1983, desempenhando um papel fundamental na redemocratização e nos acontecimentos futuros do país.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Formação