5º Congresso: O modelo de desenvolvimento que queremos para o ABC

O 5º Congresso dos Metalúrgicos foi aberto ontem à noite com o desafio de discutir um modelo de desenvolvimento articulado e autônomo para a região.

O presidente Lula disse que houve uma evolução política no Brasil que só aconteceria num processo revolucionário.

Para o ministro Luiz Marinho a sociedade espera muito do Congresso.

“Vocês não vão se arrepender de me eleger presidente”

Ao abrir o congresso da categoria, o presidente Lula lembrou que a política teve uma mudança substancial a partir do momento em que assumiu o cargo, tanto que da classe trabalhadora saíram o ministro do Trabalho, o presidente do Sesi e do Sebrae, o Delegado Regional do Trabalho e dezenas de trabalhadores que ocupam postos no governo.

“Houve uma evolução que, historicamente, só aconteceria num processo revolucionário, e acredito que podemos ocupar muito mais espaço”, disse Lula.

Para tanto, ele avisou que é preciso conhecer os adversários, fazer alianças e compreender o jogo da democracia em sua plenitude.

Lula disse também que, na educação, “fizemos uma pequena grande revolução”. E citou que, em quatro anos, seu governo vai abrir 400 mil vagas no ensino superior através do Pro-Uni e outras 360 mil vagas nas quatro novas universidade federais e nas 33 extensões das universidades federais em cidades no interior do País, como no Vale do Jequitinhonha.

O presidente fez comparação entre a atividade sindical em sua época,  quando as empresas demitiam e os trabalhadores corriam atrás do prejuízo chorando o desemprego, e agora quando só na categoria metalúrgica foram criados 300 mil novos empregos no País.

Também lembrou que neste ano o desenvolvimento econômico fez que com 85% das categorias conquistassem aumento real nos acordos de campanha salarial.

“A economia vai continuar melhorando e no ano que vem será bem melhor”, assegurou ele.

Para Lula, os tempos são outros. Antes, quando a economia crescia, a inflação também crescia. E quando a exportação aumentava, o mercado interno caia.

Agora é diferente. Cresceram os índices do emprego, da exportação, do crédito pessoal, enquanto caem o dólar, a inflação e o custo de vida.

Lula disse que seu governo vai continuar reforçando as políticas econômica e social, e quando chegar o momento vai fazer a prestação de contas para a categoria.

“Vocês não vão se arrepender de me eleger presidente da República”, concluiu.