A síndrome do esgotamento – burnout

Semana passada falamos sobre estresse. Prolongados níveis de estresse no trabalho produzem a síndrome do esgotamento (burnout) que compreende exaustão emocional, distanciamento das relações pessoais e baixa realização pessoal. 

Foto: Divulgação

O trabalho nem sempre traz realização profissional. Muitas vezes aquela colocação que lhe ofereceram não era a que você queria, mas havia chance de progredir na empresa. Noutras, você é contratado como auxiliar de pintura e está lá ajudando na funilaria.

O mais comum é acúmulo e desvio de funções. Pessoas se aposentam ou são demitidas, sobrando para aqueles que ficam acumular as atividades, não importando se as qualificações – ou o tempo – são adequados.

Essa tensão primeiro te tira a alegria de trabalhar. Como todo mundo te cobra e você se vê impedido de resolver (por falta de tempo ou de solução), você fica mais seco com os colegas. Você os evita. Você não detém o poder de resolver, por causa da burocracia. Você percebe que qualquer um pode ocupar seu lugar, pois não faz diferença. Isso traz o sentimento da baixa realização profissional. 

Esta síndrome surgiu na área da saúde. Logo foi percebida nos professores e hoje está presente até nos departamentos administrativos das grandes empresas. Se você está com dificuldade, procure um psiquiatra, procure o DST.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]    

 Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente