A violência fora de controle e o trabalho escravo só aumentam

Foto: Divulgação

Vivemos dias sombrios, de muita tristeza, sobretudo quando nos deparamos com tanta violência, já transbordando também para o campo do ódio político. E o incentivo ao uso de armas, nos últimos anos, só agravou este quadro. Crescem, ainda, os crimes cometidos contra mulheres, tendo o feminicídio como o mais grave.

No âmbito trabalhista, o ápice da violência está na utilização de trabalho escravo. Difícil acreditar, mas isto, ainda hoje, é realidade no Brasil e no mundo. A OIT (Organização Internacional do Trabalho) noticiou que nada menos que 50 milhões de pessoas são vítimas de condições de trabalho análogas à escravidão no mundo.

No Brasil, além de tudo, a violência fora de controle tem atingido fortemente as florestas, principalmente contra seus defensores. Exemplos disto, as mortes de Bruno Pereira e Dom Phillips. O incêndio na mata produz mais mortes e sofrimento, pois aumentam a secura do tempo e as doenças respiratórias.

A coisa toda chega ao ponto de um empresário condicionar a entrega de comida a uma mulher ao seu voto em Bolsonaro e contra Lula. Este empresário recebeu criminosamente o Auxílio Emergencial na pandemia.

Todos estes fatos estão interligados por um fio condutor perverso: a cultura da violência, da morte, das agressões, da destruição do meio ambiente e do ódio.

Precisamos frear tudo isto. Implementar a cultura da paz e dos direitos humanos. Do contrário, enfrentaremos de vez a barbárie. Faça sua parte. Vote consciente para mudar tudo isto!

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]
Departamento Jurídico