Ação para combater as horas-extras

Uma das principais ações da campanha salarial das categorias com data-base no segundo semestre será o combate às horas-extras. Essa foi uma das decisões na plenária da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM) realizada sábado passado na Sede.

“O reaquecimento econômico fez crescer assustadoramente as jornadas extras. E isso não só na indústria, mas em vários setores”, explicou o presidente da FEM, Adi dos Santos Lima. Ele citou o caso das indústrias mecânicas de Matão que não encontram mais mão-de-obra especializada na região e, por isso, abusam das horas-extras. “O índice de absenteísmo também aumentou por lá devido ao crescimento das doenças profissionais”, completou Adi.

Segundo o Dieese, o controle de horas extras tem capacidade para gerar até um milhão de empregos no País.

>> Índíces

Até 16 de julho, data prevista para a entrega das pautas de reivindicação, a FEM terá um estudo sobre o desempenho dos vários grupos patronais que vai nortear o índice de aumento real pedido pela categoria neste ano.

Adi acredita que a campanha de 2004 será bem diferente da de 2003 em função do crescimento da produção e das vendas no setor automotivo. “A conjuntura nos favorece e a expectativa é ter um bom acordo”, conclui.