Ao se cuidar você cuida dos outros

Os números sobre a pandemia não permitem que afrouxemos as ações de proteção em relação à doença.

Foto: divulgação

O quadro se complica em função da variabilidade apresentada pelo vírus. Uma pesquisa realizada pelos cientistas do King’s College, em Londres, identificou 6 “tipos” de covid-19, cada um deles responsável por um determinado conjunto específico de sintomas.

Segundo o estudo, a gravidade da doença e a necessidade de auxílio respiratório em caso de hospitalização variam conforme o tipo de vírus.

Diante desse quadro, devemos insistir no bom senso e na necessidade de reforçar as medidas de proteção. A principal é continuar lavando as mãos com água e sabão e não se aglomerar. O uso de máscaras também é importante.

As máscaras têm o objetivo de proteger a mucosa (tecido mole dos olhos, nariz e boca) da chegada de gotículas contaminadas e também impedir a saída de gotículas do paciente doente para infectar outra pessoa ou o ambiente, quando da fala, tosse ou espirro, por exemplo.

Mas quais são as máscaras mais adequadas?

As conhecidas por N95 filtra pelo menos 95% das partículas transportadas pelo ar e são destinadas aos profissionais de saúde e podem ou deveriam, também, ser utilizadas por todos nós.

A máscara caseira, precisa ter pelo menos duas camadas de pano. Deve ser usada individualmente, não pode ser dividida com ninguém. Pode ser feita em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos. Pode ser reutilizada, desde que higienizadas corretamente.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente