Brasil vai superar os Estados Unidos

O Brasil, segundo colocado no placar mundial da Covid-19, está próximo de alcançar e chegar à frente dos Estados Unidos no número de mortes causadas pela doença. Dados atualizados e publicados hoje pela manhã pelas Secretarias Estaduais de Saúde informam 25.598 mortes registradas e 411.821 casos confirmados em todo o país.

Foto: divulgação

Estudos da OMS (Organização Mundial da Saúde), e de vários centros de pesquisas e análises estatísticas, nacionais e internacionais, sinalizam que o Brasil pode chegar a 125.000 mortes até o mês de agosto, considerando, única e exclusivamente, dados oficiais divulgados.

Em entrevista ao jornal inglês Financial Times, o pesquisador Alexandre Kalache, que trabalhou na OMS e hoje é presidente do International Longevity Centre, afirmou não ter dúvidas de que o epicentro da pandemia está migrando para o Brasil. Ele prevê que, se a curva de contágios e mortes continuar a subir, o país alcançará 120.000, ou mais mortes, até julho desse ano.

Enquanto isso, Jair Bolsonaro segue incentivando a população a retornar às ruas e ao consumo e, dessa forma, aquecer a economia, sem levar em consideração o crescimento exponencial dos números e a falta de políticas públicas e comando adequados para conter a disseminação do vírus. Insiste e estimula, de maneira obsessiva, que doentes devem autorizar e solicitar tratamento com cloroquina e hidroxicloroquina, mesmo sabendo não haver resultados positivos com suas utilizações e que a OMS não vê evidência científica para o uso e hospitais de todo país seguem abandonando a cloroquina para tratamento da Covid-19.

Na contramão do conhecimento e da razão, Bolsonaro comemorou ontem o anúncio de que Trump mandará 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina para o Brasil.

PRA ONDE ESTAMOS SENDO LEVADOS?

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente