Chevrolet quer fazer carros elétricos no Brasil e confirma três lançamentos

Bolt EUV chega no ano que vem, enquanto Blazer EV e Equinox EV virão em outro momento

A General Motors fez uma promessa de vender apenas carros elétricos a partir de 2035 e, em 2040, ser carbono neutra. E, quando fez o anúncio, a fabricante já sinalizava que esta transformação afetaria sua operação na América do Sul. Hoje, a dona da Chevrolet anuncia o seu plano de eletrificação na região, confirmando o Bolt EUV para o Brasil a partir de 2023. Equinox EV e Blazer EV também virão ao país e a empresa ainda diz que planeja fazer elétricos por aqui.

Para a GM, a América do Sul tem potencial para ser um polo de produção e exportação de carros elétricos. A operação da Chevrolet na região é uma das mais importantes e o Brasil é o 2º principal mercado da empresa, perdendo somente para os Estados Unidos. Porém, Santiago Chamorro, presidente da GM América do Sul, explica que a eletrificação acontecerá em um ritmo diferente dependendo da região.

“A Chevrolet vai oferecer a linha mais completa de elétricos do mercado”, afirma Marina Willisch, vice-presidente da empresa na região. A executiva já adianta que irá ampliar o portfólio, começando com o Bolt EUV, uma versão SUV do hatch Bolt. O lançamento começa na Colômbia no 2º semestre, chegando aos demais países da região no ano que vem, inclusive o Brasil. Sua chegada era esperada, pois o carro estava rodando em testes nas ruas brasileiras e a fabricante dava indicações de sua chegada desde que a marca revelou que trabalhava no modelo.

Um dos pilares desta estratégia de eletrificação da GM é a plataforma Ultium de baterias, que funciona de forma modular, permitindo montar o conjunto de maneiras diferentes como na vertical, algo que é usado na picape Silverado EV. A tecnologia tornou-se tão interessante que a Honda fez uma parceria com a fabricante norte-americana, desenvolvendo e produzindo carros juntas com estas baterias.

Do Motor1