Correção da tabela do IR: Imposto triplicou em oito anos

Estudo divulgado pela consultoria Ernst & Young mostra que o Sindicato tem razão quando anuncia a continuidade da luta pela correção da tabela do Imposto de Renda. Segundo o levantamento que começou em 1995, o trabalhador que ganha hoje cerca de R$ 2.840,00 por mês teve a carga tributária triplicada no período. Ela passou de 1,39% da renda total para 4,66%.

Em dinheiro, significa, por exemplo, que para ganhos anuais de cerca de R$ 38 mil (com reajustes salariais que acompanharam a inflação nos últimos oito anos – como é o caso dos metalúrgicos do ABC), o imposto a pagar passou de R$ 236,25, em 1995, para R$ 1.591,13, no ano passado.

“Os contribuintes que ganham entre R$ 20 mil e R$ 30 mil por ano são os que mais sentem o congelamento da tabela do Imposto de Renda”, explica José Rainho Silva, sócio da Ernst & Young. “São justamente as faixas de renda menor na classe média que sofrem com a não-correção da tabela do IR”, diz.