Créditos tributários para o setor automotivo já somam R$ 40 bilhões

Segundo Becomex, estado de São Paulo tem liberado os recursos mais rapidamente para a cadeia automotiva

Um entrave antigo que limita a competitividade das empresas do setor automotivo é a dificuldade que elas têm para acessar os créditos do ICMS, imposto estadual que incide sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. De acordo com a legislação brasileira, este crédito tributário deveria voltar para montadoras e fornecedores. Segundo Paulo Paiva, vice-presidente da Becomex, pelo menos em São Paulo a situação melhorou nos últimos dois anos.

Pelos cálculos da Becomex, empresa que presta consultoria fiscal para companhias de diversos setores, existem R$ 40 bilhões de créditos acumulados no setor automotivo no Brasil, sendo R$ 25 bilhões de tributos federais e R$ 15 bilhões do ICMS – principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Paiva explicou que o estado vem liberando aos poucos os créditos às empresas que registram pedidos na secretaria da Fazenda. Uma vez com os créditos em mãos, montadoras e fornecedores, por exemplo, os dissolvem em seus pacotes tributários como se fosse um desconto, promovendo uma redução da carga que incide sobre suas operações no estado.

Em 2022, a Becomex faz 15 anos de operação no mercado contábil. Até hoje, afirma a companhia, já conseguiu reduzir em R$ 9 bilhões a carga tributária de seus clientes, dentre eles, empresas do setor automotivo. Em 2021, a empresa teve faturamento recorde de R$ 124 milhões e as perspectivas são de crescimento de 30% para 2022.

Do Automotive Business