CUT: 39 anos de resistência e conquistas

Neste próximo domingo, 28 de agosto, é a data de fundação da CUT, que chega aos seus 39 anos de existência com um caminho de muitas lutas e conquistas em defesa da classe trabalhadora.

Fundada em São Bernardo do Campo, nos galpões do antigo estúdio de cinema Vera Cruz, num momento em que a classe trabalhadora em todo o país se mobilizava para conquistar melhores salários e condições de trabalho, depois de seguidos anos de arrocho salarial e exploração intensiva do trabalho, que levou o Brasil a ostentar a triste marca de país recordista em acidentes de trabalho.

Ao mesmo tempo, trabalhadores e trabalhadoras liderados pela CUT tomavam as ruas e praças para combater a ditadura e lutar pela redemocratização do nosso país, que já vivia quase duas décadas de regime militar. Assim foi na campanha pelas “Diretas Já” em 1984, na convocação da Assembleia Nacional Constituinte em 1985 e nos seus 20 meses de trabalho até a promulgação da nova Constituição em outubro de 1988.

A CUT também teve um papel fundamental no fortalecimento da democracia nas entidades sindicais e nos locais de trabalho dando dinamismo ao sindicalismo brasileiro que foi se tornando, cada vez mais, protagonista dos grandes momentos da história política do nosso país nas últimas décadas.

Desde a sua fundação, o sindicalismo-CUT continua sendo símbolo de combatividade sindical. No atual momento em que a população brasileira sofre duramente com o desemprego, com o flagelo da fome, da alta do custo de vida, a CUT tem sido um farol de resistência, liderando as lutas em defesa da vida, do emprego, da geração de renda, da dignidade do trabalho e, sobretudo, por uma democracia verdadeiramente ancorada na soberania popular que seja capaz de reconstruir a nação brasileira em consonância com os anseios do seu povo.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Formação