Desenvolvimento solidário: o papel dos agentes

Um dos elementos mais importantes no processo de desenvolvimento de empreendimentos solidários, envolvendo um grupo social ou uma comunidade, é sua relação com os agentes externos de desenvolvimento.

Estamos falando dos profissionais ligados a órgãos do governo, a bancos e organizações públicas e privadas que têm como objetivo colaborar na construção dos projetos associativos ou comunitários.

Cabe a esses profissionais, num primeiro momento, ajudar o grupo ou a comunidade a encontrar as possibilidades de superação de sua situação inicial de carência e de pobreza. Assim, seus membros tomam conhecimento das possibilidades concretas de que dispõem para trilharem um caminho autônomo de desenvolvimento.

A comunidade é envolvida num processo que é essencialmente de formação técnica e política. Através de um conjunto de atividades envolvendo o levantamento, a troca e a sistematização de informações, os agentes de desenvolvimento ajudam seus membros a adquirirem o conhecimento técnico, organizacional e político necessário ao desenvolvimento dos projetos de empreendimento.

Este processo tem chance de dar certo se os “ensinamentos” forem sendo colocados como respostas aos desafios e problemas reais que o grupo enfrenta nas diferentes fases de elaboração e implementação de seu projeto de empreendimento.

As respostas serão um desdobramento desse processo como fóruns coletivos para decidir sobre questões comuns ao grupo, novas formas de organização do trabalho e da produção, novas demandas de apoio às entidades públicas e privadas.

Assim, os novos empreendedores vão se capacitando no manejo e na interpretação das informações e das relações, construindo as condições de sua autonomia e de seu desempenho enquanto sujeitos políticos, responsáveis pelo seu próprio destino.

Departamento de Formação