Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: para refletirmos todos os dias

O nosso Sindicato sempre teve a preocupação de trazer para o âmbito da luta sindical o cumprimento da lei de cotas para pessoas deficientes de forma digna oferecendo igualdade de oportunidades aos trabalhadores PCDs nas empresas.

Foto: Divulgação

Amanhã, dia 3 de dezembro, comemora-se o “Dia Internacional das Pessoas com Deficiência”. A data foi criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) com o objetivo de sensibilizar a sociedade em todo o mundo a refletir sobre as dificuldades e os desafios enfrentados pelas PCDs (pessoas com deficiência).

No Brasil esta data é comemorada no dia 21 de setembro desde 1982, e, em 2005, esse dia foi oficializado como “Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência” com a mesma perspectiva de engajar a sociedade brasileira na luta das pessoas com deficiência.

O objetivo da ONU ao propor essa data foi dar maior visibilidade para uma longa luta das pessoas com deficiência. Em muitos casos, essa luta é tratada pelo viés filantrópico ou assistencialista. A luta pela igualdade de oportunidade das PCDs deve ser entendida e tratada como um direito. Nesse sentido, é importante entendê-la numa perspectiva cidadã e emancipatória no âmbito das políticas públicas que envolve educação, saúde, acessibilidade aos locais, oportunidades no trabalho nos órgãos públicos e também na elaboração e aplicação de leis que voltadas às empresas privadas.

O nosso Sindicato sempre teve a preocupação de trazer para o âmbito da luta sindical o cumprimento da lei de cotas para pessoas deficientes de forma digna oferecendo igualdade de oportunidades aos trabalhadores PCDs nas empresas. Assim como, a solidariedade na luta pela ampliação de políticas públicas e na conscientização da população em geral. A Comissão dos Metalúrgicos do ABC com Deficiência é uma importante ferramenta no engajamento da categoria sobre essa importante causa e tem tido um papel importante na denúncia sobre os retrocessos sofridos pelas PCDs no atual governo.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Formação