Dirigentes convocam para Assembleia Geral online de Campanha Salarial

Votação para dar encaminhamento às negociações ocorre amanhã durante todo o dia no site do Sindicato

Foto: Adonis Guerra

Nos últimos anos, com o acentuado cenário de retiradas de direitos, as negociações de Campanhas Salariais, lideradas pela FEM/CUT (Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT) têm sido duras.

Em 2020 a crise econômica agravada pela pandemia do coronavírus trouxe novo complicador para as rodadas virtuais de discussão, o que exigiu ainda mais habilidade dos representantes dos trabalhadores.

Estabilidade no emprego, adoção de protocolos de higiene e renovação da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) foram as principais pautas defendidas pela Federação.

Hoje é dia de os trabalhadores apreciarem o resultado das conversas entre a FEM/CUT e as bancadas patronais que acontecem desde junho. Por conta da necessidade do isolamento social, estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a votação será feita de forma virtual e ficará disponível das 8h às 23h desta quarta-feira, 30, no site do Sindicato (www.smabc.org.br).

Um vídeo será postado com informações passadas pelo presidente da Federação, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, e pelo presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. Após ouvir as propostas, os trabalhadores devem acessar o link de votação para validar sua opção e ajudar a decidir os rumos da Campanha.

“Apesar de todas as dificuldades deste ano e do oportunismo de boa parte das bancadas patronais em querer se aproveitar da pandemia para retirar direitos dos trabalhadores, chegamos enfim a uma proposta que consideramos aceitável. Mas no final das contas é você trabalhador quem decide”, ressaltou Wagnão.

O presidente dos Metalúrgicos do ABC destacou o empenho dos representantes da FEM/CUT na figura do presidente Luizão. “Quero saudar o esforço feito pelo companheiro Luizão pela Federação que, com todas as dificuldades, conseguiu fechar, inclusive, para nossa surpresa, uma campanha salarial antes de outubro, o que não tem sido o normal nos últimos anos”.

Wagnão ressaltou ainda que, este ano, mais importante que as questões econômicas é a luta pela renovação das cláusulas sociais e lembrou a ofensiva dos sindicatos patronais que apresentaram contra pauta.

“Em um momento tão difícil na nossa economia, a assinatura da Convenção Coletiva é o que realmente garante direitos. No início das discussões vários grupos patronais apresentaram contra pauta para retirar cláusulas muito importantes da nossa convenção”.

Eixos
Este ano, a Data-Base negociada pela FEM/CUT está focada na exigência de melhores condições de saúde e segurança e garantia de emprego. O tema é “[email protected]! Tamo junto pela vida, emprego e renda”.

Os eixos são: por melhores condições de saúde e segurança; por melhores condições sanitárias e de higiene; aumento salarial; pela manutenção de todos os direitos; pela nacionalização de componentes, máquinas e equipamentos; defesa urgente de um projeto de reindustrialização do país.

Confira quais são as bancadas patronais que negociam com a FEM/CUT
• Sindicel
• Grupo 8.2 (Sicetel e Siescomet)
• Grupo 8.3 (Sinafer, Simefre e Siamfesp)
• Sindratar
• Grupo 2 (Sindimaq e Sinaees)
• Grupo 3 (Sindipeças, Sindiforja e Sinpa)
• Fundição
• Grupo 10 (Fiesp e outros)
• Estamparia