E se a compra da Covaxin tivesse passado?

A compra da Covaxin foi um dos escândalos apurados pela CPI da Covid-19 realizada no ano passado.

Foto: Divulgação

Após inspeção à fábrica na Índia, a Anvisa reprovou a importação da vacina, ainda em estágio inicial, que seria importada por terceiros (propina), enquanto o governo ignorava a Pfizer.

A Índia tem cerca de 1,4 bilhão de pessoas, com cidades enormes (Delhi e Mumbai, 30 e 20 milhões de habitantes em 2021. São Paulo, 12 milhões e Grande São Paulo, 49 milhões, estimada), é um país pobre (BRICS) e seu sistema de saúde pública não é robusto.

E o que aconteceria se a compra fosse aprovada? Primeiro, o laboratório Bharat Biotech não consegue atingir nem o mínimo da demanda local: dos 2 bilhões de doses, cerca de 80% foi de AstraZeneca feita localmente, chamada de Covishield. Até junho/22, foram fabricadas e aplicadas 77 milhões de doses da Covaxin, todas na Índia.

Dos 100 milhões de doses que seriam compradas pelo propineiro brasileiro, ainda estaríamos esperando por elas.

Mas lá eles não têm um governo fascista. Liberaram a vacina assim que possível, compraram o que puderam e mesmo sendo um país pobre e populoso, conseguiram vacinar 65% da população.

No placar: Índia 1,4 bi, Brasil 220 milhões de habitantes. Casos: Índia 43.920.451, Brasil 33.591.356. Mortes: Índia 526.110, Brasil 676.964. Considerando o estrago que as fakenews e a extrema direita fizeram, atrapalhando todo o processo de vacinação, chegamos a 79% com duas doses. Mesmo com todos os dados estando sob suspeita, a cultura da vacinação brasileira, o SUS e a ação dos contrários a este governo, conseguimos vacinar mais. Porém, perceba que, por causa desse mesmo governo e das fakenews, tivemos muito mais mortes. E mais um detalhe: na Índia, a vacina é paga: Covishield 600 e Covaxin 1200 rúpias (40 a 80 reais) no particular, mas há subsídios e fornecimento pelo governo.

O perigo agora é engavetarem as denúncias feitas pela CPI. Covaxin, falta de oxigênio em Manaus, estudo fraudado, kit Covid, TrateCOV, PreventSenior, pastor Amilton, tudo periga ser esquecido pela história.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente