Empresa deverá indenizar trabalhadora que sofreu injúria racial

Vivemos tempos sombrios e desafiadores. É crescente o clima de ódio, em larga medida incentivado pelo atual governo federal. É nesta atmosfera que tomamos conhecimento da condenação da Caixa Econômica Federal pela Justiça do Trabalho.

Foto: Divulgação

Trata-se de uma recepcionista de uma agência bancária de Florianópolis (SC) vítima de injúria racial cometida por uma cliente. O TST (Tribunal Superior do Trabalho) levou em conta as condições de trabalho para determinar o pagamento de indenização de R$ 20 mil.

A recepcionista (terceirizada) auxiliava no autoatendimento, prestava informações e distribuía senhas ao público. Relatou ela que a agência onde trabalhava atendia um grande público e que, frequentemente, passava por diversas situações estressantes, inclusive de discriminação racial.

Os problemas, segundo a trabalhadora, foram informados ao seu supervisor, mas nenhuma providência chegou a ser tomada. Em 2018, uma cliente se exaltou e passou a ofendê-la com palavras de baixo calão e injúrias raciais. A situação levou a recepcionista a se afastar, em razão do abalo emocional. Uma semana após retornar ao trabalho, ela foi dispensada.

Ficou evidenciado que as condições de trabalho da agência favoreceram o ato de injúria racial. É obrigação do empregador manter o ambiente de trabalho sadio e saudável.

Precisamos superar esta atmosfera de ódio e ressentimento e construir a cultura da paz e da tolerância. Todos temos que contribuir com isto, incluindo as empresas as quais devem proteger seus trabalhadores. Vivemos uma hora decisiva para superar tudo isto. Participe você também!

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento Jurídico