Ford explica decisão de tirar sedãs de linha nos EUA

Aceleração do declínio do segmento de sedãs é o principal motivo para fim da linha de sedãs da Ford

A Ford deu fim a sua linha de sedãs em todo o mundo no último ano. A empresa mudou o foco para crossovers, SUVs e picapes, basicamente. Em entrevista ao Ford Authority, o vice-presidente da Ford América do Norte, Kumar Galhotra, explicou a decisão em detalhes. O executivo acrescentou que o segmento de sedãs já vinha em declínio por um longo tempo e que nos últimos anos a queda foi acentuada.

“Nossa indústria é muito intensa em recursos. Nós precisamos criar um produto particular e uma fábrica para produzi-lo, e todo ferramental e nossos fornecedores. Tudo isso pode custar bilhões de dólares. A questão, então, se tornou, naquele ambiente, de uma quantia de capital finito, onde queremos investi-lo? Em um segmento em declínio ou outro em crescimento?”, completou.

Galhotra afirmou que a Ford escolheu o segundo caminho redirecionando seus investimentos para novos produtos. Entre eles estão o retorno do Bronco, o Mach-E, Bronco Sport e outros produtos que ainda serão lançados; mas estão dentro do que o público quer e que sobrepujarão a perda de sedãs. Ao redor do mundo há poucos sedãs sendo produzidos pela Ford ainda e são para mercados específicos.

Esse é o caso do Ka Sedan no Brasil e do Fusion que ainda é produzido na China, onde há uma demanda por três volumes, por incrível que pareça, apesar do crescimento dos SUVs também. A empresa prepara ainda, dentro da nova estratégia, a chegada de uma picape intermediária, que vai brigar com a Fiat Toro no Brasil. A expectativa é que ela traga de volta ao mercado o nome Maverick, famoso aqui e nos EUA. Ela deve ser produzida sobre a mesma plataforma do Bronco Sport.

Do Jornal do Carro