Idéia surgiu pequena

O banco começou em novembro de 2000 para reapro-veitar os produtos não utilizados pelo Craisa, a central de abastecimento de Santo André. “Resolvido o problema interno, nosso desafio foi conquistar o público externo”, conta Ivani Pereira Cerveline, membro da comissão de gestão do banco.

Com o auxílio de uma lista telefônica, eles passaram a ligar para possíveis doadores de produtos. “Ninguém foi esquecido: supermercados, atacadistas, frigoríficos”, prossegue Ivani. Os resultados foram animadores. Ontem, por exemplo, o Frigorífico Chapecó doou 6 toneladas de frango e a Padaria Brasileira vários quilos de pães. Ao banco coube buscar. Se não fosse, tudo seria incinerado.