Intercâmbio e código de conduta

Outro encontro reuniu representantes de trabalhadores nas autopeças alemãs Mahle Metal Leve, ZF/Sachs, INA-Luk e Siemens, as quatro maiores empresas do setor aqui no Brasil.

“A decisão foi criar redes nacionais e internacionais e implantar códigos de conduta para garantir direitos”, disse Valter Sanches, diretor do Sindicato e secretário de organização da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT.

As redes serão os embriões dos comitês de representação dos metalúrgicos em todas as unidades dessas quatro empresas pelo mundo. Valter Sanches disse que o comitê mundial vai garantir a implantação do código. “Queremos acabar com problemas da liberdade de organização e de discriminação de trabalhadores nessas empresas”, concluiu ele.